FONTE BOA: SERVIDORES DA EDUCAÇÃO AMEAÇAM IR AS RUAS NA PRÓXIMA SEMANA PROTESTAR CONTRA A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL

0

Em Assembleia realizada na noite da última segunda (24), na Câmara Municipal, os servidores da educação decidiram que caso o prefeito de Fonte Boa não pague o 13º salário e um terço das férias referente a 2016, haverá protesto na próxima terça feira.

De acordo com o delegado sindical, Micharle Tavares, o prefeito Gilberto Lisboa, recebeu mais de dois milhões e meio de reais referente ao ano de 2016 e já possui dinheiro suficiente para reajustar o salário dos servidores e pagar todos os direitos trabalhistas.

“Já temos aproximadamente cinco milhões de reais de sobra. Esse dinheiro é do Fundeb para pagamento dos servidores. Já encaminhamos oito ofícios para o prefeito e ele não nos recebe. O Secretário de Educação apesar de não servir para praticamente nada nos virou a cara. Vamos para as ruas protestar. Não podemos arriscar em deixar esse dinheiro para ser devolvido no final do ano. Ele pode desaparecer misteriosamente.” Afirmou.

Micharle destacou que se o prefeito não pagar os direitos trabalhistas até sexta feira, os servidores irão para a câmara na terça pela manhã e de lá sairão em passeata pela cidade.

“Nós iremos primeiramente cobrar os vereadores. Estamos há três anos sem reajuste salarial. O prefeito não pode fazer o que bem entende com o nosso dinheiro. De lá sairemos pelas ruas da cidade em protesto. Desde já convido a toda população para nos acompanhar e mostrar apoio a esses servidores. Eu estou preparado para ir às ruas, é o nosso dinheiro que está em jogo. Não queria ser um professor para me calar diante dessa situação.” Afirmou.

O delegado sindical informou ainda que a sobra do dinheiro da educação não inclui os 25% que devem ser investidos pela prefeitura. Micharle ressaltou que além dessas reivindicações, o Sinteam também irá cobrar dos vereadores a transparência do processo seletivo e a qualidade da merenda escolar.

“O processo seletivo está uma verdadeira imoralidade. A prefeitura já contratou várias pessoas antes mesmo do resultado do certame. A merenda escolar não está chegando nas escolas como deveria. Os 25% de investimentos do executivo na educação ninguém sabe para onde vai. O pouco que vemos são gastos absurdos. O muro da Escola Francisca Creuza custará aos cofres públicos 150.000,000 (Cento e cinquenta mil reais), é um custo muito alto para pouco cimento e pouco tijolo mas, parece que somente o SINTEAM está vendo isso. Sem falar nas licitações superfaturadas realizadas pelo prefeito.” Finalizou.

Caso o prefeito não ceda as reivindicações dos SINTEAM, esse poderá ser o segundo protesto em apenas sete meses de mandato.

Share.

About Author

Comments are closed.